COMPARTILHAR

As InsurTechs realmente estão dando o que falar em 2017. Faz tempo que não via uma agitação em um mercado como o que está acontecendo com o mercado segurador. 

As InsurTechs deixaram de ser tendência ou futuro e agora são a bola da vez.

Este movimento ainda é uma “marola” comparado ao que acontece nos EUA, na Europa e Ásia. Por lá esta “marola” já se transformou em um tsunami! 

Sabendo disso já precisamos nos preparar para surfar essa onda aqui no Brasil de forma estruturada e sustentável.

O reunião do Comitê de InsurTechs da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico foi um grande sucesso e contou com a presença de um pessoal que está realmente afim de aprender e evoluir esta nova categoria. Esta iniciativa tem como grande objetivo atuar no desenvolvimento sustentável das InsurTechs no Brasil dando todo o suporte ao conjunto normativo atuando como um agente responsável nesta evolução. Não tenho dúvidas que bom debates virão por aí.

Na ocasião contamos para a participação do Google, sócio da camara-e.net, que fez uma bela apresentação com números atualizados mostrando como está o mercado de seguros online brasileiro. 

As InsurTechs também foram amplamente abordadas e discutidas durante o CIAB 2017 que é um importante congresso referência na América Latina em tecnologia da informação para o setor financeiro organizado pela Febraban.

Alguma coisa tem aí, né?

Sobre as InsurTechs tupiniquins elas representam apenas 6% das Fintechs de acordo com o mapeamento divulgado pelo o pessoal da FintechLab no começo deste ano. O Radar Fintech mapeou e atualmente são 14 InsurTechs no Brasil. Em 2015 e 16 o mesmo relatório apontava apenas 7 InsurTechs.

Não tenho dúvidas que para 2018 este número, no mínimo, dobre.

Agora, compartilho alguns números da apresentação que rolou no Comitê de InsurTechs.

Segundo o Google, são realizadas 150 milhões de buscas/mês por termos relacionados ao setor Financeiro, onde a categoria Seguros está inserida.

Falando somente da categoria Seguros são 12 milhões de buscas, 10 milhões de pessoas navegando com o interesse por seguros, 1 milhão de pessoas assistindo conteúdo de seguros.

As buscas sobre seguros cresceu cerca de 11% no 1º trimestre/2017 comparado ao mesmo período do ano passado. Com destaque para o seguro odontológico e também pela busca pelas marcas das seguradoras (institucional). Neste mesmo período o grande destaque foi para previdência privada que cresceu 137%, isso graças as discussões da reforma da previdência que fez o interesse por previdência privada despontar neste 1º trimestre de 2017.

CATEGORIA DE SEGUROS

Dando um mergulho em quais categorias de seguros que mais se destacam, o seguro de saúde é o produto de Seguros de maior volume da categoria com cerca de 10 milhões de buscas seguido pela busca pelas marcas (institucional) com 2 milhões, seguro odontológico com 700 mil, auto 300 mil, viagem 200 mil, celular 100 mil, vida 60 mil, aluguel/fiança 50 mil e 40 mil de residencial.

Mas engana-se quem achar que este mercado é um Oceano Azul, pois com exceção de saúde e odonto, toda as outras categorias de Seguros apresentam uma elevada cobertura de mercado. O Seguro Viagem e Seguro Celular está com 97% de cobertura seguido por Seguro de Vida e Seguro Residencial com 96% de cobertura, depois com 95% de cobertura o Seguro Aluguel/Fiança e o Seguro Auto com 95% de cobertura.

O CPC

O custo por clique da categoria de Seguros quando se faz um recorte, temos os TOP 3:

1. Seguro Viagem = 8,19

2. Seguro Auto = 3,36

3. Seguro Residencial = 2,47

A concorrência é bastante acirrada e com excelentes jogadores. Para entrar nesse jogo precisa estar bem preparado, caso contrário será engolido!

MOBILE

Não poderia deixar de destacar como está o comportamento do mobile nesta história toda. 

De forma geral a categoria Seguros vem ganhando destaque e representatividade quando o assunto é busca por seguros que são realizadas via um smartphone. 

Atualmente temos que 31% das buscas por seguros já são feitas via um smartphone, para você ter uma ideia este número em janeiro/2015 era de 17%.

Quando comparamos com outras categorias enxergamos que ainda tem muito o que evoluir, pois o share do mobile na categoria Automóveis (montadoras) representa 57%, Telecom com 48% e Travel 42%.

Descendo para o mercado de seguros as principais categorias com maior penetração de buscas feitas via um celular são:

• Seguro para Celular com 45% 

• Seguro Aluguel/Fiança com 44%

• Seguro de Vida com 43%

• Seguro Auto com 42%

• Seguro Residencial com 39%

• Seguro Odonto com 34%

• Seguro Saúde com 32%

• Marca (institucional) com 24%

• Seguro Viagem com 24%

É por essas e outras que venho batendo na tecla de que o mercado de seguros precisará se reinventar cada vez mais. Já é nítido que este movimento já começou, porém a simples digitalização dos serviços não será suficiente.

E não tenho dúvidas que muito em breve todo este movimento das InsurTechs Brasilis ganharão destaque por esse mundão afora.

Um salve para o #ShareKnowledge. Curtiu? compartilhe…

*agradeço ao time do Google por disponibilizar e compartilhar estes números

_____________________

Gustavo Zobaran atualmente é Head de Brand Experience da Youse, coordenador do Comitê de InsurTechs da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico e cidadão atuante deste e-cossistema compartilhando e produzindo diversos conteúdos por aí.

Comentários do Facebook

Comentários