COMPARTILHAR

Sem discussão, o avanço tecnológico que se vive nos dias atuais chega a assustar. Quem já estava no mundo antes da década de 90 sabe exatamente como é essa sensação. Mas é inevitável. A mudança chega e todo mundo tem quem se adaptar pra não ficar pra trás.

Enfim, de maneira geral a tecnologia, em muitos setores, mudou a forma de se relacionar e também de fazer negócios. No setor de Seguros não foi diferente. Hoje, tudo, ou quase tudo, está na ponta dos dedos. Quer saber o saldo da sua conta corrente? Use seu celular. E assim também pode ser para se contratar uma apólice de Seguro. O Corretor de Seguros, que é o principal canal de distribuição do Mercado Segurador, tem que estar pronto para essa nova realidade. É importante que ele veja a tecnologia como aliada e não como concorrente. O novo cliente está conectado e quer ter contato com o Corretor através do Facebook ou até do WhatsApp.

Parece bicho-de-sete-cabeças, mas não é. Quando se cria resistência ao uso de tecnologias, qualquer que seja ela, fica mais difícil. Lembra como parecia complicado usar o computador? Então….Gustavo Zobaran, Gerente de Comunicação e Estratégia Digital da CAIXA Seguradora, destaca que as novas tecnologias precisam ser incorporadas pelo Corretor nas suas atividades diárias. Se bem usadas, facilitam a vida e se tornam aliadas. É possível encontrar uma ferramenta para ajudar na prospecção, na venda, no pós-venda e até na fidelização dos clientes. Ou seja, tecnologia aliada em tempo integral.

O Corretor de Seguros é um empreendedor e como tal deve estar atento às ferramentas que possam trazer inovação para o seu negócio. Não adianta. O Corretor deve ter a consciência de que não é um tirador de pedido. Seguro é venda técnica. É preciso preparo e a tecnologia pode ser um braço importante na inovação neste novo modo de trabalho. Como você vai se aproximar do seu cliente? Torpedo? Mensagem no WhatsApp? Email? Por meio de alguma rede social?

Abordagem

Quando se pensa em Mercado Segurador brasileiro qual a principal característica? Um mercado que ainda tem muito o que crescer, e que a população, no geral não tem a cultura do Seguro. Portanto, o que falta? Informação! É assim que você pode começar nas redes sociais. Oferecendo conteúdo de qualidade para conquistar clientes e também para manter os que você já tem. “Produza bastante conteúdo relevante para seu o cliente. Hoje o que vende não é mais o produto, é o relacionamento e o relacionamento você conquista entendendo o comportamento. Que tal começar listando as cinco principais dúvidas dos clientes e publicar no seu site?”, explica Gustavo Zobaran.

Ao ficar mais perto do cliente, ao conhecê-lo mais, o Corretor pode oferecer novos produtos ao mesmo cliente. Dessa forma, ele pode aumentar sua produção sem precisar prospectar novos clientes. Acredite. A tecnologia pode ser uma ferramenta importante para você entender como seu cliente se comporta e aí você tem condições de oferecer outros produtos para ele.

Autoimagem

Ok. Você usa redes sociais, mas não profissionalmente. Aí você aproveita e, entre uma publicação do churrasco do final de semana e um check in no cinema, você publica algo profissional. Não é uma boa idéia. O melhor é criar uma conta profissional onde você vai ser mais ‘objetivo’ na comunicação. Afinal, entre o post dos amigos e a declaração de amor da esposa ou namorada, vai ter uma proposta de venda por exemplo. Essa informação pode ficar perdida. Por isso, não misturar sua página pessoal com a profissional já é um grande passo.

O Gerente de Comunicação e Estratégia Digital da CAIXA Seguradora só faz um alerta: “O ambiente digital ainda é um campo pouco explorado e que precisa ter conhecimento para não sair se aventurando e investir tempo e dinheiro de forma equivocada, por isso se capacite!”. E completa: “O principal é que o Corretor entenda o seu cliente e seu comportamento. Hoje o marketing não é online ou off-line, é comportamental!”.

Então, ficou convencido de que a tecnologia pode ser sua aliada e não inimiga?

24/11/2014 / Fonte: CQCS | Sueli dos Santos

Comentários do Facebook

Comentários